Progressive Fighting Systems | Edmárcio Rodrigues - Martial Arts

CONTEMPORARY JEET KUNE DO

Sifu Paul Vunak é o criador e fundador da Progressive Fighting Systems e do termo Contemporary Jeet Kune Do. Ele foi um dos primeiros homens a provar e revolucionar o Jeet Kune Do para sempre, sua visão está sempre a frente do tempo, juntamente com sua capacidade de juntar todos elementos para diversas situações. A capacidade que temos de fluir de uma distância para outra é a nossa marca, podemos nos adaptar a qualquer ambiente de combate, podemos usar Wingchun e suas armadilhas, podemos chutar como Savate e Thai Boxing, podemos entrar para o clinch e usar joelhos e cotovelos eficazmente, alem de destruir seus ataques. Podemos ir para o solo e sair dele com técnicas de submissão ou kina mutai em situações extremas, alem de tudo podemos usar armas reais como facas, machetes, bastões e muito mais.

 

 

A jornada para o Jeet Kune Do

Para Bruce Lee, o Jeet Kune Do não era um estilo. Foi um processo de autodescoberta e crescimento constante. Estilos de artes marciais de todo o mundo têm suas próprias formas, movimentos e técnicas, e os praticantes de cada um vão para a batalha acreditando que eles têm todas as respostas. Bruce Lee recusou-se a chamar o Jeet Kune Do de um estilo, pois ele achava que isso seria limitá-lo. Ele costumava dizer “Não existe tal coisa como um estilo se você entende totalmente as raízes do combate”. O verdadeiro gênio de JKD é evidente na mudança, e pode ser visto na metamorfose que Bruce Lee e sua arte passaram. Desde o seu começo clássico Wing Chun, transformou-se nas técnicas militares e policiais efetivas que nós da Progressive Fighting Systems seguimos. Para realmente entender o JKD, precisamos mapear a progressão e evolução que Bruce Lee fez de uma adolescente de 13 anos estudando Wing Chun sob o lendário mestre Ip Man, para ser chamada de Avô do MMA pelo presidente do UFC Dana White.
Wing Chun – O Núcleo
De todos os estilos de kung fu sendo ensinados em Hong Kong nos anos 50, por que Bruce Lee escolheu o Wing Chun? Apesar de Bruce Lee ter tido algum treinamento nos movimentos fluentes do Wu-Style Tai Chi de seu pai, seu treinamento sério em artes marciais começou aos 13 anos de idade. Quando ele se matriculou na escola Wing Chun liderada pelo Grão Mestre Ip Man, o único propósito era poder sobreviver às perigosas lutas de rua que encontraria nos becos e telhados de Hong Kong. Quando adolescente, Bruce teve alguns problemas com crianças de gangues e começou a desenvolver uma reputação como lutador de rua. Para sua própria segurança, Lee passou incontáveis ​​horas aprimorando suas habilidades com Ip Man e seus alunos mais antigos. Bruce aprendeu as três formas clássicas: a “pequena forma de idéia” de Si Lim Tao, Chum Kiu e “Bil Jee”. Desta fundação, ele aprendeu Chi Sao – mãos pegajosS – e 60 dos 108 movimentos do Mook Jong (manequim de madeira). O Wing Chun foi o único treinamento formal de artes marciais que Bruce recebeu, e forma o núcleo do Jeet Kune Do. As idéias de econômia de movimentos, bloqueio e impacto simultâneos, teoria da linha central, interceptação, pressão constante para frente e treinamento de sensibilidade são os fundamentos centrais da JKD. Mesmo nesse estágio inicial, Bruce tinha uma mente muito curiosa e inquisitiva. Ele procuraria mestres de outros estilos e trocaria segredos de artes marciais com eles. Ele também incorporou princípios de esgrima de seu irmão. Ele até participou e venceu um torneio de boxe no ensino médio. Com a idade de 18 anos Bruce Lee deixou Hong Kong e foi para a América, onde ele imediatamente começou a ajustar seu sistema de luta para se adequar ao seu novo ambiente e adversários maiores. Considerando a forma tradicional “muito rígida”, Bruce começou a ajustar os ângulos, as posturas e os pés do Wing Chun. Ele sentiu que o Wing Chun colocou muita ênfase nas técnicas de mão de curto alcance.
Jun Fan Gung Fu – A arte e Jeet Kune Do a filosofia conceitual
Um importante ponto de virada na metamorfose de Bruce Lee foi  finalmente ver os limites do estilo Wing Chun e percebeu a importância do condicionamento físico, força funcional e desenvolvimento de atributos. Bruce Lee tornou-se fanaticamente dedicado ao desenvolvimento geral como atleta – tanto que os princípios e estratégias de treinamento que ele empregou nos anos 60 e início dos anos 70 ainda são de ponta quase 50 anos depois. Jun Fan Gung Fu recebe seu nome uma variação do nome chinês de Lee. É uma forma híbrida em que o Wing Chun formou o núcleo principal e um total de 26 outros estilos giraram em torno dele. Foi durante o desenvolvimento de Jun Fan que Bruce Lee encontrou seu próprio estilo de chute, baseado nos estilos do norte da China e savate francês. Esta foi a arte que foi ensinada nas escolas de Seattle e Oakland durante o início dos anos sessenta. Até 1967, Bruce Lee e Dan Inosanto dissecaram as 26 artes em busca de verdades universais de combate, a evolução de suas pesquisas e treinamento nessas 26 artes tornou-se a arte conhecida como Jun Fan Gung Fu.
OS VINTE E SEIS ELEMENTOS DE COMBATE DO JUN FAN GUNG FU
  • 1. Wing Chun
  • 2. Louva-a-deus do norte
  • 3. Louva-a-deus do sul
  • 4. Choy Li Fut
  • 5. Tai-Chi Chuan (estilo familiar de Wu)
  • 6. Paqua
  • 7. Hsing-I
  • 8. Bak-Hoo Pai (Garça Branca) Bak-Fu Pai (Tigre Branco)
  • 9. Garra de Águia
  • 10. Ng Ga Kuen (Cinco Sistema Familiar)
  • 11. Ny Ying Ga (Cinco Sistemas Animais)
  • 12. Bak Mei Pai (sobrancelha branca)
  • 13. Shaolin do norte
  • 14. Shaolin do sul
  • 15. Bok Pai
  • 16. Savate (Boxe Francês)
  • 17. Chin Na
  • 18. Estilo Macaco
  • 19. Estilo Bêbado
  • 20. Esgrima Ocidental (Foil)
  • 21. Boxe Ocidental
  • 22. Lutas Ocidentais
  • 23. Jujutsu
  • 24. Escrima
  • 25. Filipino Sikaran
  • 26. Muay Thai (boxe tailandês)

Muitas pessoas ainda se confundem e não entendem que Jun Fan Gung Fu é toda a base e conteúdo programático para o entendimento do Jeet Kune Do e sua expressão pessoal!

Jeet Kune Do
Na última página de “O Tao do Jeet Kune Do”, Bruce Lee escreveu que o Jeet Kune Do era apenas um nome e que não deveríamos nos preocupar com isso. Na verdade, Jeet Kune Do foi cunhado em 1968, quando Bruce Lee e Dan Inosanto estavam voltando para casa de uma intensa sessão de sparring. “Como você chama esse método em chinês?” Bruce respondeu “Jeet Kune Do” – Modo de interceptar o punho. Jun Fan Gung Fu evoluiu naturalmente para o Jeet Kune Do. Seu objetivo era apresentar o praticante aos princípios básicos e fornecer-lhes as verdades necessárias da realidade do combate. Princípios como os 3 tempos para atacar alguém, os 4 intervalos de combate, os 5 modos de ataque e as 6 doenças da mente. A partir daí, coube a cada indivíduo expandir esse conhecimento, encontrar sua própria expressão pessoal e descobrir suas próprias verdades. O Jeet Kune Do não é um produto, mas um processo de descobrir a causa da sua própria ignorância. Somente conhecendo suas próprias forças e fraquezas você pode explorar as fraquezas do seu oponente e ficar longe de suas forças. O JKD é muito mais que uma coleção de técnicas e estratégias de muitos estilos e sistemas diferentes. Em vez disso, o JKD une diversos estilos, identificando temas centrais como ritmo quebrado, preservando a linha central, mantendo o fluxo rítmico e a capacidade de se “encaixar” nas técnicas do oponente.
Bruce Lee desafiou artistas marciais a crescer continuamente, a mudar e evoluir como os tempos ou situações exigiam. Ele também disse para encontrar a melhor arte para a situação dada e, em seguida, encontrar uma maneira de enganar dentro dessa arte. Afinal, ao lutar pela sua vida, não há nada de antidesportivo em arrancar os olhos, chutar a virilha ou morder o rosto. Antes de Bruce Lee sair para Hong Kong para fazer filmes, ele certificou apenas um homem como nível III no Jeet Kune Do, Dan Inosanto, deixando-o na posição de Instrutor Principal na escola de LA Chinatown. Após o falecimento de Bruce Lee em 1973, Dan Inosanto ficou com o legado do Jeet Kune Do. Ele continuou a ensinar e desenvolver a arte como Bruce Lee queria, abrindo a Kali Academy. Ele viajou o mundo por mais de 35 anos perpetuando a arte e filosofia de Bruce Lee. Graças à influência da Inosanto nos últimos 35 anos, há instrutores JKD qualificados em todo o mundo. A beleza do JKD está em sua capacidade de mudar e se adaptar. Ao longo dos anos, Dan Inosanto e Paul Vunak adicionaram o Brazilian Jiu Jitsu e a mordida de Kina Mutai, para lidar com os perigos do combate no solo. Quer se trate de alguém que supera você por 50 ou mais quilos.
Contemporay Jeet Kune Do
A nossa estratégia de combate ao solo do Jeet Kune Contemporary é simplesmente trapacear. Para isso, empregamos o Brazilian Luta Livre e Submission e a Arte Filipina do Kina Mutai. Kina Mutai é a antiga arte de morder, furar e arranhar os olhos e arrancar ininterruptamente que foi incluída por Guro Dan Inosanto para situações de lutas na rua: aquelas em que a sua vida ou a vida de um ente querido está em perigo. Eles foram adicionados mais tarde por Dan Inosanto e Paul Vunak para lidar com o perigo de muitas lutas de rua indo para o chão. Eu gostaria de fazer uma pausa por um momento e dizer que as técnicas que empregamos usando Kina Mutai são algumas das mais brutais, bárbaras e cruéis conhecidas pelo homem. Existem apenas duas razões justificáveis ​​para infligir tal brutalidade a outro ser humano: engajamento militar ou defesa de sua família contra ameaças letais. Qualquer um pode morder, mas para morder eficazmente você deve saber quando, como e onde morder. Você deve ser capaz de morder seu atacante por 5 a 8 segundos ininterruptos para causar dano suficiente para criar espaço e escapar.Você deve ser capaz de morder em combinação e atrair seu atacante para uma mordida. Você precisa saber como fingir uma mordida em uma direção para abrir um alvo mais macio, uma técnica chamada “mordida indireta progressiva”.
A arte de Bruce Lee evoluiu e mudou para se adaptar ao ambiente e aos adversários que ele estava enfrentando. Isto é claro em sua progressão do Wing Chun ao Jun Fan e finalmente ao Jeet Kune Do. Isso também é claro em sua evolução física, sua metamorfose prova que o ser humano é muito mais importante do que o resultado final do treinamento. Jeet Kune Do é a produção de um artista marcial que não possui estrutura ou forma. Por isso, ele possui todas as estruturas, todas as formas. Ele é capaz de se adaptar a qualquer situação, como a água se ajustando à forma de qualquer recipiente. Capaz, por exemplo, de encher um copo vazio.
Temos um programa único que combina todos elementos funcionais das artes que compõem o JKD, usamos o termo aplicado para diferenciar, combinamos elementos de sobrevivência urbana, treinamento com armas, Ground Fight, Trapping, Grappling, Clinch, Kino Mutai, Dumog e treinamento e táticas voltadas para o militarismo. Nosso programa já foi ensinado no exército, grupos de policiais, grupos de segurança e agentes. Se você procura honestidade, eficiência e realismo, este é o lugar para você.
MILITARY EDGES WEAPONS –  Programa que usamos para o ensino de armas para o ambiente e situações militares, e policiais.

 

R.A.T – Rapid Assault Tatics – Programa ensinado há anos para os Navy Seals, Tem Six e agenciâs de segurança, trata-se de um esboço profundo de técnicas de combate rápidas que anulam agressores em potencial

                                                                 Filipino Martial Arts
               Kali – Silat – Dumog – Panantukan – Kino Mutai

 
As Artes marciais Filipinas são completas em todos os aspectos e distâncias, a distância mais importante que se domina é o uso constante de armas, ao contrário de outras artes marciais que se deixa para aprimorar as armas no final de sua conclusão, nas artes marciais Filipinas é a primeira coisa a ser abordado. Estas artes são conhecidas como Kali, Eskrima, Silat e outras. As Filipinas possuem bastante ilhas e cada ilha desenvolveu seu método próprio de Kali e combate, onde no passado travarão batalhas com espanhóis, Japonese e Americanos, e o método de Kali comprovou sempre sua eficácia em combate real. O sistema que ensinamos e treinamos é o sistema de Inosanto que envolve várias facetas que foram influenciadas pelos ensinamentos que Guru Dan Inosanto obteve ao longo de mais de 40 anos com vários mestres da arte, o mestre que mais teve influência em seU sistema foi John Lacoste. Quem conhece Dan Inosanto sabe de toda sua perícia no manuseio de armas, é o um dos maiores divulgadores se não for o maior das artes marciais Filipinas em todo o mundo, possui maestria no domínio das armas e formou diversos grandes mestres de Kali em todo o mundo. Atualmente diversos filmes são influenciados pelo uso do Kali e das artes marciais Filipinas, vários atores são treinados em seus métodos para contracenar devido o impacto real e visual das técnicas, várias forças policiais, e métodos de combate usam o Kali em seu treinamento com armas, por se tratar de um sistema real e eficaz para combate real.
As artes marciais Filipinas possuem téncicas desarmadas que são conhecidas como Panantukan (Boxe Filipino), Dumog (Wrestling, Takedowns, torções manipulações). Treinamos e estudamos as artes dos continentes das Filipinas, Indonésia e Malasia, nestes paises forão também desenvolvidas as artes e técnicas do Pencak Silat.
O Pencak palavra é originária de Java e se refere às artes marciais dessa área. Penca, sem a k é a grafia original da linguagem de Sonda. Pencak com a k, vem de Bahasa Indonésia, a língua nacional da Indonésia e se refere ao movimento ou a beleza das artes marciais. O Silat palavra vem das áreas de Sumatra, Filipinas, Malásia, Singapura, Brunei e outros. Silat refere-se à luta real.
Nossa escola reúne o treinamento de Silat desses vários continentes, tratando de separar o real do ilusório da arte, esta arte envolve um profundo estudo do corpo humano, trata-se de uma arte mental, física e espiritual usado para auto defesa.
O Kali e o Silat são artes que se relacionam a todo hora, muitas vezes não há distinção do que seja Kali ou Silat, devido o sistema empregado, ambas trabalham bastante a destruição de membros, nervos, artérias, deslocamento, manipulações, quebramentos, varreduras, torções, imobilizações, sufocamento, golpes de mãos, punhos, cotovelos, joelhos, cabeçadas, pés e ground work (luta de solo).
Kali é uma arte marcial altamente sofisticada e abrangente das Filipinas é baseada em armas, mas, em última instância, um sistema de mãos vazias. As artes marciais Filipinas de nossa escola seguem o curriculum que Guru Dan Inosanto e seus instrutores, onde a principal linha é a de John Lacoste. O sistema Lacoste contém elementos de Panantukan (Boxe Filipino), Sikaran (técnicas de chutes Filipinos), Panandatas (sistemas de armas diversas).
Kali contém bastante neutralizações, ataques a tendões, nervos, pontos vitais e cobre uma gama de técnicas devastadoras de aniquilação e ataques ao músculo. Kali não é esporte é uma arte tribal de sobrevivência. Nosso sistema ensinado em nossa escola, também enfatiza técnicas e conceitos de outros sistemas de Kali como Pekiti Tirsia e Applied Eskrima, para nós, Kali anda de mãos dadas com Silat, onde em Kali possui seu sistema próprio de Silat.
Kali trabalha o outro lado do cérebro que você não possui habilidades, além de que é um sistema que possui bastante atributos de coordenação, sincronismo, poder de batida e outros conceitos. Os treinamentos com as armas fazem as mãos ficarem mais rápidas naturalmente 10 vezes mais, pois a concentração em treinar com uma arma é grande, ao treinar sem elas, sua mão e seus golpes aumentam a velocidade e poder, bem similar aos atributos da arte WingChun que também ensinamos.

 

 

Wing Chun Gung Fu – Método Pratico